Voltar ao topo

Em setembro de 1973, o cantor, diretor teatral e ativista político Víctor Jara foi detido pelas forças golpistas e levado ao Estádio Chile, hoje chamado de Víctor Jara, em sua homenagem. O militante político foi torturado e assassinado ali, no dia 16 daquele mês, 5 dias após o golpe chileno de Pinochet.

O Ex-militar chileno Pedro Pablo Barrientos Núñez é apontado como principal responsável pela execução, mora nos EUA desde 1989, tendo obtido a cidadania americana. Ele enfrenta acusações de tortura e execuções extrajudiciais, na Corte da Flórida, porém o juízo tem caráter civil, logo, não será julgado por crimes de lesa-humanidade, como queria o Centro de Justiça e Responsabilidade (CJA) organização defensora dos direitos humanos com sede em São Francisco, Califórnia, a qual propôs a demanda, em 2013.

O tribunal, então, fixará sanções pecuniárias caso o condene pelas violações cometidas, conforme pedido judicial. A previsão é de que esse julgamento se prolongue até o dia 29 de junho, de 2016.

Cantor, diretor de teatro e ativista político chileno, Víctor Jara

Cantor, diretor de teatro e ativista político chileno, Víctor Jara

Atualização: O Ex-Militar foi considerado culpado pelo júri, no dia 27/06/16 –

https://www.theguardian.com/world/2016/jun/27/victor-jara-pedro-pablo-barrientos-nunez-killing-chile 

 

Fonte: http://www.reddigital.cl/sociedad/36-derechos-humanos/11639-parti%C3%B3-juicio-civil-por-asesinato-de-v%C3%ADctor-jara.html

Notícias relacionadas

Deixe um comentário